Arte moderna e contemporânea e seus reflexos


Postado em 09/05/2018



O movimento modernista no Brasil, que marcou o seu inicio na Semana de Arte Moderna em 1922, teve entre alguns de seus principais intelectuais grandes nomes como Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Manuel Bandeira. Já no que se refere à arte moderna, pode se dizer que compõe um conjunto de movimentos artísticos, culturais e estéticos que permearam as artes durante a segunda metade do século XX, influenciando literatura, arquitetura, música, teatro, pintura, design e etc. 
 
As manifestações de arte moderna se caracterizam, principalmente, por romper com os padrões antigos de arte e, para isso, exploram diversas formas de expressão através de recursos como as cores vivas, cubos e formas deformadas, trazendo uma nova forma de expor as obras e relacioná-las com o público. Relevantes artistas brasileiros como Lygia Clark e Hélio Oiticica ficaram conhecidos pela interação do público, com suas obras como parte da exposição. 
 
No que diz respeito às artes plásticas, o Brasil possui exemplos de grandes pintores modernistas e parte dessas obras podem ser encontras atualmente no Museu de Arte Moderna e nas Bienais, organizadas nacionalmente. Como ontem (08 de maio) foi comemorado o Dia do Artista Plástico, separamos alguns dos nos nomes mais relevantes deste cenário e suas obras para aqueles que desejam conhecer mais da arte e cultura brasileira. 
 
Tarsila do Amaral: Pintora e desenhista, foi uma das de destaque da primeira fase do modernismo no Brasil. Conhecida pelo uso de formas geométricas (na maioria das vezes, cubos e cilindros) na representação em suas obras, ela introduziu o cubismo no Brasil. Seu quadro Abaporu ,de 1928, inaugura a antropofagia nas artes plásticas e, hoje, é a obra brasileira mais valorizada no mercado mundial das artes. 
 
Anita Malfatti: Pintora, desenhista e professora brasileira, promoveu com a sua exposição em 1917 uma revolução das artes plásticas no Brasil. Esta mesma exposição, criticada por Monteiro Lobato, serviu de ponto de partida para o movimento modernista no país. Suas obras são até os dias de hoje referências mundiais na arte moderna. Entre elas, podemos destacar a pintura 'A Estudante', de 1915. 
 
Di Cavalcanti: Pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista brasileiro. Sua arte marcada por temas tipicamente brasileiros contribuiu de forma significativa para a formação da arte brasileira, sendo o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922. No ano de 2017, completou-se 120 anos da sua obra. Em tempo: Recentemente, no dia 4 de maio de 2018, foram encontrados pela Polícia Federal na operação Câmbio, Desligo, 39 quadros de sua autoria na posse do doleiro Dário Messer. Entre as obras mais famosas de Di Cavalcanti, podemos destacar a pintura 'Samba', de 1975. 
 
Ismael Nery: Pintor e cenógrafo brasileiro de influência surrealista. Ganhou notoriedade a partir dos anos 1965, anos após a sua morte. Ao contrário dos outros artistas modernistas, as pinturas de Nery não tratam de temas nacionais, indígenas e brasileiros. A sua preferência era pintar a figura humana e retratos. Foi um dos expoentes do Surrealismo no Brasil e entre as suas obras mais famosas, podemos destacar a pintura 'Namorados', de 1927.  
 
Evento Atual>>> Do dia 8 de maio, a partir das 20 horas, até 12 de agosto o MAM (Museu de Arte Moderna) sedia a exposição gratuita Ismael Nery: Feminino e Masculino, com mais de 200 obras selecionadas pelo curador Paulo Sergio Duarte. Para mais informações da exposição, acesse: http://mam.org.br/exposicao/ismael-nery-feminino-e-masculino/
 
Lasar Segall: Foi pintor, escultor e gravurista nascido na Lituânia, mas que morou a grande parte da sua vida no Brasil. De 1937 a 1938 Lasar, já residindo no Brasil, teve 49 de suas obras confiscadas de museus públicos alemãos. O país que durante esse período encontrava-se sob controle do nazismo de Adolf Hitler, passa a condenar manifestações artísticas modernistas por considerá-las “artes degeneradas”. Lasar, pelo fato de ser um artista modernista e também judeu, passa a ter suas pinturas confiscadas pelo governo alemão. Agora, as obras de Lasar e outros pintores que tiveram suas pinturas confiscadas foram resgatadas pelo Museu Lasar Segall e expostas para o público geral. Grande destaque, em sua carreira, para a pintura Encontro, de 1924.
 
_______________________
 
Outras curiosidades sobre essa temática você encontra no MBA em História da Arte da Estácio. 
 
Fontes: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

0800 378 2246

Aluno Trancado




Lista de Tag's

Outros Links



Copyright © Pós Graduação Estácio 2018