Nutrição ortomolecular e sua importância para a saúde


Postado:


Viver na era da informação é ótimo, mas muitas vezes confunde. Com tantas opiniões, métodos e visões de mundo é fácil para o usuário ficar perdido na internet. Na nutrição, a situação não é diferente. A existência das chamadas “dietas da moda” que, por acaso, funcionam em uma pessoa, não necessariamente constituem regra a todos. 
 
Pensando nas necessidades biológicas de cada um, a nutrição ortomolecular propõe soluções individuais com o intuito de equilibrar o organismo. Continue lendo para saber mais desse tema e - caso tenha interesse - conhecer como proceder para começar a pós-graduação nesta área.
 
O que é a nutrição ortomolecular? 
 
Ela foi introduzida no ambiente acadêmico no ano de 1968 pelo Doutor em Química, Linus Pauling - este que comprovou a relação o equilíbrio do corpo humano com os alimentos consumidos pelos indivíduos. Hoje, já estruturada como área de estudo na Nutrição, a nutrição ortomolecular atua na reposição de vitaminas e minerais específicos deficientes no organismo. 
 
Tendo como premissa o fato de ser impossível conseguir todos os nutrientes necessários através da alimentação normal, esta metodologia analisa - através de exames de sangue, urina e cabelo - o que o paciente precisa complementar na sua dieta. Dessa forma, é possível proporcionar uma boa nutrição celular e, consequentemente, eliminar as reações químicas oxidativas responsáveis pela geração de radicais livres - agressivos às células e associados ao envelhecimento. 
 
Ao mesmo tempo, ter uma alimentação desregulada, aliada a outros fatores como o estresse, pode ocasionar cansaço, dores no corpo, insônia, dentre outros problemas. Vale lembrar também que as vitaminas e minerais são essenciais nos processos metabólicos e aproveitamento de carboidratos, gorduras e proteínas. 
 
Como a nutrição ortomolecular funciona? 
 
Primeiramente, o paciente deve realizar um conjunto de exames solicitados pelo nutricionista. Esta etapa é imprescindível, pois é através dos resultados que o profissional terá condições de avaliar quais os nutrientes em falta. 
 
Logo após, ao estruturar a dieta e fazer as recomendações necessárias, o nutricionista provavelmente solicitará alterações nos hábitos alimentares. Possivelmente será demandado o consumo de suplementos alimentares e fitoterápicos, com o objetivo de complementar a alimentação designada.
 
Na dieta ortomolecular não é excluído nenhum grupo alimentar, por outro lado, são excluídos determinados alimentos. Aos que optarem por segui-la, devem consumir carnes magras. Além disso, são retirados todos os alimentos industrializados e o excesso de carboidratos simples. A prioridade a alimentos antioxidantes também é reforçada, pois este grupo alimentar combate os radicais livres. 
 
Qual o curso ideal para saber mais sobre este tema? 
 
Caso seja graduado em nutrição e tenha interesse em conhecer detalhes, acesse e inscreva-se agora mesmo no curso presencial e a distância de pós-graduação em Nutrição Clínica Ortomolecular da Estácio e não perca a oportunidade de continuar os estudos em uma instituição de ensino reconhecida no mercado.
As mensalidades acessíveis, os professores qualificados e o conteúdo das disciplinas com certeza formam os diferencias que tornam esta especialização uma ótima alternativa. 
 
Não perca tempo e aproveite!
 

Fontes utilizadas como referência:

Pós Estácio 

Conquiste a Sua Vida.com

Ativo

Nutricionista Ortomolecular.com

0800 378 2246

Outros Links



Copyright © Pós Graduação Estácio 2019