Os problemas de diagnóstico relacionados ao reumatismo


Postado em 03/12/2018



O reumatismo é uma doença normalmente associada às dores nas articulações, entretanto não é tão simples assim que o termo pode ser exemplificado. A palavra define mais de cem enfermidades nos ossos, tendões, músculos, órgãos e, também, articulações. Alguns mitos, internalizados na sociedade pelo senso comum, impedem o diagnóstico no momento certo e preocupam os reumatologistas e profissionais da área. 
 
Confundido com um “problema de idosos”, o reumatismo é mais comum no Brasil do que se pensa. Dados do ministério da Saúde revelam a presença de 15 milhões de brasileiros afetados pelo problema. Acreditar no mito de ser apenas uma patologia exclusiva do público da terceira idade pode postergar, ou até mesmo impedir, o tratamento entre os jovens. 
 
Além disso, as doenças reumáticas podem serem facilmente confundidas com uma dor qualquer. Contudo, elas incluem artrites, tanto infecciosas quanto reumatóides, artroses, osteoartroses, osteoartrites, entre outras, inclusive a pouco conhecida doença de Lúpus (causada quando o sistema imunológico ataca as próprias células do corpo) . 
 
O público mais afetado varia de faixa etária. Nos idosos surgem as artroses, em razão do desgaste ósseo, decorrente da idade. A espondiloartrose incide, sobretudo, nos homens. Nas mulheres de meia-idade, a fibromialgia é destaque. E, no caso do Lúpus, as mulheres jovens são as principais atingidas. 
 
Movimentar com dificuldade ao acordar, dores constantes pelo corpo, inchaços nas articulações e diminuição da flexibilidade são alguns dos sintomas. O indivíduo que apresenta algum desses indícios deve procurar ajuda com profissional qualificado e seguir o tratamento designado corretamente. Caso contrário, corre o risco de perder os movimentos. 
 
O fator genético pode ser causa para o surgimento de alguma doença reumática, mas a má higiene oral, o tabagismo, a vida sedentária e dieta desorganizada, ocasionando excesso de peso, contribuem para que ela apareça. A idade também deve ser incluída, pois, conforme os anos avançam, o organismo passa por processo de desgaste de tecidos e órgãos. 
--------------------------------------------------
 
A fisioterapia pode ser uma ótima alternativa no tratamento de algumas doenças que limitam movimentos, como as já citadas durante o texto. Procure por um fisioterapeuta especializado e descubra como o seu tratamento poderá ser beneficiado com determinadas técnicas aplicadas. 
 
Fique de olho também no site da Pós-Graduação Estácio e esteja atualizado em temas como este e outros na área. Não se esqueça de conferir os cursos de Pós Graduação presencial em Reabilitação do Membro Superior e da Mão - Tratamento e Confecção de Órteses, Fisioterapia Traumato-Ortopédica, além do curso a distância de Fisioterapia em Gerontologia, em que são aprofundados os conceitos apresentados neste conteúdo. 
 
Fontes: 
 
 
 
 

0800 378 2246



Copyright © Pós Graduação Estácio 2018