Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite não atinge a expectativa do Ministério da Saúde


Postado:


Iniciada no último sábado, dia 18, pelo Ministério da Saúde, a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo imunizou, até esta segunda-feira, (dia 21), 51% dos brasileiros. Ao todo, 5,7 milhões de doses já foram aplicadas em território nacional, contudo, a meta de vacinar 95% das crianças  ainda está longe de ser alcançada. A probabilidade de retorno da poliomielite e do sarampo, doenças consideradas erradicadas no Brasil, reforça a preocupação dos profissionais de saúde e revela as prováveis causas da queda na vacinação.
 
Após ser eliminado em 2016, o sarampo retorna, causando surtos no Amazonas (910 casos confirmados) e Roraima (296 casos), com casos isolados em Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Rondônia e Pará. O problema, que tem como sintomas febre alta, mal estar, manchas vermelhas pelo corpo, tosse e conjuntivite, ataca as células do sistema imunológico e reduz as defesas do organismo, contribuindo para o surgimento de outros males mais graves que podem, inclusive, matar. 
 
A situação complica quando os índices de vacinação estão baixos. No caso da poliomielite, patologia que causa a paralisia infantil, o índice caiu de 98,2% em 2015 para 77% em 2017. Dessa forma, a probabilidade de retorno, ou piora dessas doenças, transmitidas de pessoa a pessoa, é um problema que envolve todos os brasileiros. 
 
De acordo com texto publicado pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) em 17 de agosto, são ao menos 9 fatores que explicam a queda na aplicação de vacinas. Entre os motivos, vale  mencionar: a percepção da sociedade de que não é preciso vacinar porque as doenças desapareceram, medo de as vacinas causarem efeitos negativos no organismo, falta de tempo para comparecer nos postos de saúde e a influência dos movimentos antivacina.
 
Entretanto, os profissionais de saúde enfatizam a importância da vacina e incentivam os brasileiros a levarem as suas crianças nos postos para tomar as doses corretas. Só assim a prevenção pode ser alcançada. 
----------------------------
 
Caso você se interesse pelo tema, ou pelo campo da saúde, no geral, conheça os cursos realizados nessa área aqui, na Estácio. As disciplinas abordam conteúdos dos campos de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Educação Física, Nutrição, dentre outros.
 
Não perca tempo e fique por dentro de nossos conteúdos programáticos. Faça já a sua inscrição e venha para o time Pós Estácio! 
 
Fontes: 
 
Estadão
Folha 
G1
Revista Fapesp 
Terra 
 
 

0800 378 2246

Outros Links



Copyright © Pós Graduação Estácio 2019